O Verão Europa 2021 começou

Hoje, 21 de maio é o começo oficial do verão na Europa. Com a campanha de vacinação bem avançada, várias restrições foram retiradas.

Cada país escolheu a sua estratégia de contenção do virus. Mas, todos possuem um ponto em comum: os testes de covid19 e a vacina. Com esses dois pré-requisitos, os europeus podem acessar serviços, como gastronomia ou atividades culturais ou esportivas. Podem também viajar para outros países da União Européia.

A variante Delta

Apesar das boas prospecções, a variante delta do vírus causa preocupação. Ela foi descoberta na Índia e rapidamente se espalhou mundo afora.

Agora na Europa, o vírus começou a se propagar na Grã-Bretanha*. O país se viu obrigado a adiar a reabertura total. O objetivo é adiantar a vacinação, o mais rápido possível e tentar preservar os hospitais, especialmente as unidades de terapia intensiva.

Outros países também foram pego de surpresa. Portugal que possuía de uma situação boa, em relação ao vírus. Mas, com a chegada dos turistas, especialmente os britânicos, o quadro mudou radicalmente.

O governo de Lisboa resolveu cercar a cidade, no último fim de semana. Também ampliou o acesso aos testes de Covid19, nas farmácias e também pretende acelerar a campanha de vacinação.

Com as férias chegando, Portugal quer ser um destino seguro para os turistas do norte da Europa.

Na Áustria: a briga das máscaras

Na Áustria, mais de 50% da população já recebeu pelo menos, uma dose da vacina. As perspectivas para o verão são boas.

O Primeiro-Ministro Sebastian Kurz inclusive anunciou no fim de semana, a possibilidade já no mês de julho de retirar a obrigatoriedade das máscaras nas lojas.

Especialistas alertam de um possível aumento de número de casos de Covid19, em função da variante Delta.

O Ministério da Saúde inclusive quer aumentar a oferta de testes de Covid19, os testes de PCR para todo o país.

A grande pergunta que fica é como passaremos o verão 2021. A expectativa é de não termos a mesma má surpresa, do ano passado, no Natal, quando a mutação britânica, agora variante Alfa, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.