Tina deveria ficar na Áustria.

O DricaRibas já está na Áustria faz quase vinte anos. De tempos em tempos passa na imprensa austríaca, histórias de pessoas ou familias que estão bem integradas aqui, mas acabam sendo deportadas assim mesmo.

Claro que as leis de um país devem ser respeitadas. Quando estrangeiros decidem viver na Áustria. Precisa-se de regras claras.

Um condição muito importante para viver na Áustria é o aprendizado da lingua alemã, para se integrar à sociedade austríaca. Isso é muito importante. Com certeza, para encontrar um trabalho, mas também para entender o funcionamento do país.

A familia da Tina é da Georgia. Sua mãe chegou na Áustria, pela primeira vez em 2006 e fez seu pedido de asilo. Foi recusado. Em 2012, Tina e sua mãe voltaram para Georgia. Em 2014 voltaram para Áustria. Entretanto a irmã Lea nasceu aqui, assim como Tina. Essa família entrou com pedido de asilo seis vezes. Todos negados.

No 25 de janeiro, Tina e sua família foram deportados para Georgia. Os amiguinhos de sala de aula da Tina fizeram de tudo para evitar a deportação. Infelizmente, não conseguiram. Mas, essa deportação abriu uma discussão na sociedade austríaca: Por quê pessoas bem integradas devem ser deportadas?

Ao mesmo tempo, pergunta-se sobre o atentado que aconteceu em Viena, em novembro passado. O terrorista, um jovem de 20 anos, com dupla cidadania, Macedônia e Áustria. Era apoiador do Estado Islâmico, ele foi preso porque queria fazer parte do exército terrorista deles. O rapaz foi preso, passou 22 meses na cadeia. Em 2019 foi solto e depois, bem vocês já sabem. Cabe a reflexão.

2 comentários em “Tina deveria ficar na Áustria.