Opositor belarus preso em avião desviado

No fim de semana, um avião da companhia Rynair que fazia a Grécia – Lituânia foi desviado para Minsk, capital da Belarus. O objetivo era prender um jornalista dissidente, Roman Protassewitsch, que foi detido logo após o pouso.

A justificativa do pouso forçado em Minsk, era que havia uma bomba no avião, de acordo com a mídia estatal da Belarus. Mas nenhum explosivo foi encontrado. Logo após o incidente, o avião seguiu para o seu destino final, na Lituânia.

Governos europeus reagiram e acusam a Belarus de “terrorismo de estado” e exigem a liberação imediata de Protassewitsch. A União Européia propõe inclusive, mais sanções contra a Belarus.

Desde de ganhou as eleições na Belarus, em agosto do ano passado, Alexander Lukascenko persegue a oposição no país. Tanto assim, que a candidata derrotada, Svetlana Tikhanovskaya teve que fugir. Outros opositores também foram presos ou perseguidos no país.

Espaço aéreo fechado

Atualmente, os países membros da União Européia se encontram em reunião de Cúpula, em Bruxelas. Aproveitando a ocasião, fechou-se um acordo para a proibição de aviões da Belarus em solo europeu, bem como o sobre voo sobre o país.

Ontem à noite, em um canal do Telegram da Belarus, Protassewitsch fez um vídeo de “confissão” de culpa contra o governo. No vídeo, ele aparece com o rosto inchado e bem maquiado para cobrir uma possível fratura do nariz, afirma o pai do jornalista.

Essa manobra de sequestro ousada desse opositor na Belarus assusta e e coloca um grande desafio para o europeus.