Ômicron a todo vapor, na Europa

Um presente nada agradável chegou para os europeus para o Natal. A variante Ômicron vem aumentado e muito, o número de casos de Covid19. Na França e Grã-Bretanha houve um aumento de 100 mil casos, em pouco menos de 24 horas. Até em Portugal, com uma excelente taxa de vacinação, o governo se viu obrigado a impor restrições.

Em Viena, a variante Ômicron já é dominate. No domingo, 26 de dezembro, foram 522 casos confirmados. Com o laboratório “Life Brain” através da iniciativa “Alles Gurgelt”, a cidade de Viena consegue fazer o sequenciamento do vírus, em menos de 24 horas. No resto do país, isso ainda demora algumas semanas. O governo austríaco espera melhorar o resultado dos testes de Covid 19, usando justamente Viena como exemplo.

Por se tratar de uma variante muito infecciosa, as regras de quarentena são mais rigorosas. Isso gerou um caos no sistema de aviação, no feriado de Natal, quando milhares de trabalhadores da aviação, em quarentena fez com que milhares de viajantes ficassem em aeroportos, esperando seus vôos. Os Estados Unidos, por exemplo, reduziu para a metade a quarentena, para aqueles que não possuem sintomas.

Serviços e Infraestrutura

O grande desafio nessa nova onda de infecções é garantir o funcionamento dos serviços e infraestrutura. Por exemplo, na area da sáude com médicos e enfermeiros nos hospitais, paramédicos para as ambulâncias. Nos supermercados, além dos funcionários, todos trabalhadores que se ocupam da entrega da mercadoria. O mesmo se aplica para o mantenimento dos serviços de água e energia. Os militares serão engarregados de substituir os funcionários em quarentena.

Luz no fim do túnel?

Mesmo com o número altíssimo de infecções de Covid19, por conta da Ômicron, o número de pessoas hospitalizadas é baixo. Os especialistas acreditam que a Ômicron é mais infecciosa, mas ao mesmo tempo, menos agressiva que a Delta.

Isso é uma boa notícia. Mesmo assim, os especialistas estão muito cautelosos. A vacina é fundamental para evitar que uma infecção de Covid19 não se torne perigosa e levando muitos casos para os hospitais e, especialmente para as unidades de terapia intensiva.

Aqui na Áustria, as próximas duas semanas serão decisivas. Resta saber se a taxa de vacinação atual, com 70,4% da população duplamente vacinada será o suficiente para conter a quinta onda de infecções da Covid19.