O Baile dos Ismos

Dia desses descobri uma nova denominação dos “Ismos”, o Isentismo. Esse novo Ismo, pelo menos, novo para mim, significa que você é um ser fraco, incapaz de tomar posições e participar do baile dos Ismos, ou seja do lado do Lulismo ou do Bolsonarismo.

Desde que a expressão “Freada de Arrumação” surgiu na imprensa brasileira, esse baile ganhou um ritmo harmonioso. Veio no embalo da Vazajato, aquela que deu o tom ao baile, já que o combate à corrupção cansa e parte da nossa elite política, quer mais bailar no ritmo dos ismos, já que fazer política é algo que demanda negociação, transparência, e compromisso. Enfim, dá trabalho.

Setores da esquerda acreditam que o Lula é único no Brasil capaz de governar e colocar o país “nos trilhos”, já setores da direita acreditam que Bolsonaro nos salvará da onda vermelha, mesmo que o Queiroz esteja na casa da mãe de alguém.

Verdade que a Reforma da Previdência foi aprovada. Quem sabe outras virão. Isso depende dos Baile dos Ismos, porque, afinal de contas, temos que ter dineiro em caixa. Se é para o bem estar da população, aí é outra conversa.

Mas, você, o chato do isentão, você não quer participar do Baile dos Ismos. Você quer participar do debate do público, afinal de contas, você paga impostos. Tenho direito a serviço público. Tem, sim senhor, mas questionar, tem não. E aí como fica?