Coalizão Semáforo na Alemanha

Publicado por

Duas semanas após as eleições na Alemanha, os Sociais-Democratas, SPD, os Verdes, Grünen e os Liberais, Freien Demokraten resolveram seguir as negociações de formação de governo, após as sondagens.

As últimas pesquisas mostram que 63% dos alemães querem um governo com os Sociais-Democratas comandando o país. Isso marca o fim de 16 anos de governo de Angela Merkel.

Os conservadores, Union governaram a Alemanha junto com os Sociais-Democratas na chamada “Grosse Koalition” desde de 2017.

Isso sempre o foi o clássico da política alemã, com o sul, conservador e católico, com o partido “Union” e o norte, protestante, com os “Sociais-Democratas, o SPD.

Vale lembrar que há sempre desgaste natural de muitos anos no poder, como aconteceu com o Union. A sucessão de Angela Merkel dentro do partido foi muito turbulenta e a própria campanha do partido foi muito fraca.

Medidas de contenção do vírus da Covid18 também são impopulares, estilo lockdown enfraquece qualquer governo.

Em tempos de Pandemia, onde milhares de pessoas perderam seus empregos, o governo alemão, como outros se viram obrigados a dar subsídios para a existência de milhares, sejam pessoas ou empresas.

Com isso criou-se a necessidade de um estado mais social, algo que os conservadores não trouxeram como pauta de campanha.

Moradia e Meio-Ambiente

O DricaRibas acompanhou os debates durante a campanha alemã e observou que temas sociais foram o centro da demanda dos eleitores. O principal deles foi a moradia, algo que ficou impagável para muitas famílias, especialmente após a Pandemia.

A questão do Meio-Ambiente já é demanda antiga por parte do eleitorado germanófono. O assunto virou carro-chefe depois das inundações em Nordrhein-Westfallen, onde 134 pessoas morreram, 73 desaparecidos e vilarejos na beira do rio Reno ou Mosela foram varridos pela enchente, ainda em julho no começo do verão na Europa.

Pontos comuns entre os partidos

Já nas sondagens entre os partidos, alguns pontos foram apresentados. Entre os principais é o aumento do salário médio em 12 euros, no primeiro ano do governo e a eliminação da utilização do carvão até 2030, bem como a construção de mais 400 mil apartamentos.

Um ponto intocado foi a imposição de limites de velocidade nas estradas alemãs, ponto fundamental para os Verdes. Prova que participar de um governo exige muita negociação e abrir mão de certos pautas, mesmo que dificies.

Em entrevista ao ARD, principal canal da Alemanha, Olaf Scholz, o cabeça de lista do SPD e futuro Primeiro-Ministro afirma que antes do Natal, o futuro governo toma posse.

Após as eleições começam sondagens entre os partidos com mais cadeiras no parlamento. Em seguida começam as negociações para o programa de governo, bem como a partilha de Ministérios.

Formação de governo no Parlamentarismo

Observações: A chamada “Ampel Koalition” – coalizão semáforo se dá pela cores dos partidos, SPD (vermelho), Grünen (verdes) e Freien Demokraten (amarelo). Não será a primeira vez que os verdes estarão no governo, na Alemanha. Já formaram governo de coalizão com o SPD entre 1998 a 2005.