Mutações voltam a preocupar a Europa

Anúncios

O Primeiro-Ministro Boris Johnson se viu obrigado a voltar atrás e atrasar em um mês, a abertura da Grã-Bretanha. A mutação Delta (B.1.617), antiga mutação indiana anda levantado o número de infectados aí. Houve um aumento de 38.8%, nos últimos sete dias.

Nesse exato momento, a Europa prepara o verão e as perspectivas são boas, em outras palavras sem lockdows. Países avançam com a vacinação e a economia, especialmente com o turismo e gastronomia começa a se recuperar. Uma mutação agora é uma má notícia.

Ainda, no fim de ano passado, quando começou a campanha de vacinação na Europa, a Grã-Bretanha anunciou a mutação britânica, agora denominada Alpha. Essa foi responsável por lockdowns e sobrecargas nos hospitais, especialmente nas UTIs, não só aí, mas como no continente.

A variação Delta do vírus é entre 50 a 60 por cento mais infecciosa. Um atraso na reabertura da Grã-Bretanha significa evitar uma sobrecarga nos hospitais. Ao mesmo tempo, especialistas falam de necessidade de se vacinar, o mais rápido possível, especialmente com a segunda dose, fundamental para a proteção contra a variação delta do vírus. Até agora, 56% da população foi vacinada e 44% ainda não.

Quais os impactos para o continente?

Países no continente estão preocupados. Ao mesmo tempo, há um acordo para haver uma circulação de cidadões europeus. O passaporte verde será essa possibilidade. Ele está previsto para entrar em vigor, no primeiro de julho, justamente com o fim do ano letivo.

Aqui na Áustria, o Ministro da Saúde, Wolfgang Mückstein já disse que essa mutação pode ser uma grande problema. O governo aqui aposta na vacinação para conter a mutação delta. Pelo menos, para o verão, os especialistas não preveem lockdowns ou medidas restritivas. Para outono, bem, vamos ver como o velho continente passará o verão. Mesmo assim, os especialista calculam uma estação de frio problemática.

Até agora, de acordo com site do ORF, mais de seis milhões de austríacos já receberam uma dose da vacina. Aqui em Viena, a cidade já liberou horários da vacina para as pessoas com 45 anos. Se você mora na Áustria, não deixe de se inscrever.

Regras de viagem para os países com mutação

Aqueles que vierem da Grã-Bretanha, esses terão de apresentar um teste PCR negativo, além de fazer dez dias de quarentena e o registro online. Vale lembrar que essas regras valem também para o Brasil, África do sul e Índia.