A mutação flutuante britânica

A situação na Europa se complicou muito nas últimas semanas, por conta das mutações da Covid19. Já no começo da vacinação, ainda em dezembro, o governo britânico anunciou a mutação B.117, que ficou conhecida como mutação britânica.

No domingo, 28 de março, aqui na Áustria foi anunciada a mutação da mutação britânica B117-E484K no estado do Tirol, nos distritos de Schwaz e Kufstein. São no total de 216 casos.

A partir de amanhã, 31 de março, todos que desejam sair desses distritos, devem apresentar um teste de covid19 negativo. Há uma preocupação muito grande, de que essa mutação possa ser resistente as vacinas atuais.

Mutação Brasileira

Todos os dias, os noticiários europeus informam sobre o número de mortes no Brasil. Infelizmente, nós nos tornamos o epicentro da Covid19 no mundo. Isso se deve ao governo negacionista do Bolsonaro e o descaso das autoridades, incluindo a oposição.

Verdade também, e observando a situação aqui na Europa, não existe medidas perfeitas contra a contenção do vírus. O fato é que sem confinamento e vacina, o vírus pode continuar sofrendo mutações e se tornar resistente.

A mutação E484K aparece na mutação sul-africana a B.1.351 e também na mutação brasileira P.1. Ambas podem escapar da resposta imunológicas. Por isso, há uma preocupação real de que as vacinas atuais não sejam eficazes.

De acordo com virologistas, quanto mais o número de casos, mais chances de mutações. E aí, mora o grande desafio aqui na Europa. Depois de vários lockdowns e economias arruinadas, como finalmente conseguiremos conter o vírus. A Áustria caminha para o quarto lockdown.

Um comentário em “A mutação flutuante britânica