Imprensa russa suspensa

O jornal independente russo “Novaya Gazeta” saiu de circulação. É um duro golpe para a liberdade de imprensa na Rússia e sobretudo para a democracia do país.

Desde que começou a guerra com a Ucrânia, a Rússia baixou uma lei proibindo o uso da palavra “guerra” pela imprensa. O termo autorizado é “operação especial” contra a Ucrânia. Essa lei prevê até 15 anos de prisão para jornalistas ou produtores.

O seu editor, Dmitry Muratov recebeu o Prêmio Nobel da Paz no ano passado. Alguns jornalistas do “Novaya Gazeta” foram presos ou assassinados, como é o caso Anna Polikovskaya, em 2006. Ela cobria a segunda guerra na Chechênia quando foi assassinada na frente do seu apartamento, em Moscou. O crime não foi investigado.

Propaganda russa com força

Produtora do canal 1 na Rússia com cartaz falando da mentira sobre a “Operação Especial” contra a Ucrânia. Screenshot BBC.

Recentemente, a redatora do canal 1 da Rússia, Marina Ovyannikova colocou um cartaz atrás da apresentadora do principal telejornal da Rússia. No cartaz, ela escreve que todos estavam sendo enganados.

Por conta dessa lei de censura. Ela foi presa e corre risco de pegar até 15 anos de prisão.

Vários correspondentes estrangeiros deixaram o país. Várias mídias também deixaram como a BBC ou a Deutsch Welle.

A liberdade de imprensa é um dos pilares da democracia. Tempos ruins para Rússia. Tempos ruins para a Europa.