França entra em lockdown

A França registrou nas últimas 24 horas, 35 mil infeccões e que obriga o governo francês a tomar as medidas de confinamento, o lockdown. Esse durará um mês. O Primeiro-Ministro francês Jean Catex já considera como “terceira onda” de infecções devido as mutações de Covid19. A situação dos hospitais parisienses é preocupante, mil e duzentas pessoas se encontram nas unidades de terapia intensiva.

Viena, 1000 casos de infecções, na média

O número de casos de Covid19 também tem aumentado muito em Viena. De acordo com o site ORF, ontem foram registrados 967 de Covid19. Há também um aumento importante de casos que precisam ser tratados nas unidades de terapia intensiva. Atualmente são 143 pessoas que se encontram nas UTI. Faz um mês, o número não passava de 80 pessoas.

Ainda está programado para o dia 27 de março, a reabertura da gastronomia para o resto dos estados austríacos, incluindo Viena. No estado de Vorarlberg, o estado mais oeste de Viena, ao lado da Suiça, somente parte da gastronomia reabriu. Muitos não acharam interessante reabrir com as condições impostas, testes Covid19 negativo. Claro também, que para esse estado, faz falta os clientes suiços, já que as fronteiras estão fechadas.

Em Viena, discute-se os chamados “Schanigarten”. Vários estabelecimentos que podem ter seu lugar, nos vários parques que Viena possui. Com a chegada da primavera, as temperaturas vão permitir sentar fora. Além de trazer uma certa “normalidade”, a idéia é amenizar os prejuízos de parte da gastronomia. Se será possível sua reabertura, isso dependerá do número de casos de infecções, atualmente, muito alto

AstraZeneca continuará a ser utilizada

Depois que vários países da União Européia suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca por conta de casos de trombose, a Agência de Medicamentos da Europa – EMA seguiu recomendando seu uso, bem como a Organização Mundial de Saúde. A OMS já havia recomendado dias antes.

A Áustria seguiu vacinando com a AstraZeneca, afinal de contas essa é a única vacina que se encontram disponível na União Européia. Caso a EMA tivesse suspendido seu uso, isso atrapalharia ainda mais o calendário de vacinas, dos países membros. Claro também, que a Grã-Bretanha já usa a vacina da AstraZeneca há mais tempo e já possui estudos e resultados positivos da vacina.

Para concluir o post, de acordo com o site ORF, 855.537 mil austríacos já tomaram as duas doses da vacina, pouco mais de 9,61% da população. Ainda é pouco, mas melhor que nada.