Skip to content

Erdogan deixa Ursula von der Leyer em pé

Na última terça-feira, 6 de abril, o Presidente do Conselho da Europa, Charles Michel e a Presidente da Comissão Européia, Ursula von der Leyer estiveram na Turquia, para visitar seu Presidente, Recep Tayyip Erdogan. O motivo da visita era de discutir um pacote de ajuda financeira para a Turquia, que atravessa uma situação econômica difícil, em troca para acomodar os refugiados em seu país.

Até então, algo absolutamente normal, se fosse o fato da Presidente da Comissão Européia ficasse em pé, enquanto os Presidentes do Conselho da Europa e da Turquia se sentaram e não havia nenhuma cadeira próxima para a Ursula.

A cena incômoda aconteceu depois que Turquia dexou a Convênio de Istanbul, conhecido também como Conselho da Europa para a Prevenção contras as Muheres e Violência Doméstica. Essa decisão foi para a agradar as facções mais islâmicas do governo de Erdogan.

Se o Presidente turco se “esqueceu” ou seu protocolo errou, pode-se discutir. Mas, a grande pergunta que ficou no ar: Por que Charles Michel não cedeu sua cadeira para a Ursula? O Presidente do Conselho da Europa foi duramente criticado. Depois, Charles Michel disse “lamentar a situação” e que apenas “cumpriu o protocolo”.

Turquia: parceiro para conter os refugiados no Mediterrâneo

Apesar das rusgas, a Turquia é um parceiro estratégico para conter os refugiados sírios no mar Mediterrâneo. Nesta visita ofereceram ajuda financeira, facilidades na mobilidade e na parte de ações da aduana, bem como ajuda para integrar os refugiados sírios. Em contrapartida, a Turquia deve parar de incomodar a Grécia e o Chipre e respeitar os direitos humanos.

As relações diplomáticas com a Turquia não são senso comum entre os países membros da União Européia. Há aqueles, como a França e a Grécia que defendem uma política linha dura com Ankara, para conter o autoritarismo de Erdogan.

Outros como Alemanha, Espanha e Itália acreditam que se há um rompimento com a Turquia, aí sim que o país pode está fora de controle. Várias empresas européias possuem fábricas na Turquia.

Além de parceiro comercial, a Turquia tem mantido muitos refugiados sírios em seu país. Os europeus podem ter suas divergências quanto ao trato com os turcos, mas o que eles realmente não querem é uma crise migratória, estilo 2015, mais ainda em tempos de Pandemia.

Obrigada por ler o Blog do DricaRibas.

%d blogueiros gostam disto: