Eleições na Espanha: Socialistas ganham, mas não levam

Apesar de ganhado as eleições de ontem, o PSOE (123 cadeiras) não conseguiu a maioria para formar um governo. Junto com o Podemos (42 cadeiras), a possível coalizão consegue 165 cadeiras, das 176 cadeiras necessárias para formar um governo.

Para a direita, nem PP (66 cadeiras), ou os liberais Ciudadanos (57 cadeiras), bem como o Vox (24 cadeiras), não conseguem formar uma maioria.

Qual será o novo governo na Espanha, ainda não se sabe. Para se formar um governo de coalizão será necessário partidos nacionalistas como o do País Basco (PNV 6 cadeiras) ou os da Calalunia (JxCat 7 cadeiras ou ERC 15 cadeiras). Vale lembrar, que foram justamente os catalães que retiraram o seu apoio do governo e obrigou o Primeiro-Ministro Pedro Sánchez a chamar eleições.

A situação econômica da Espanha também não é uma das melhores. Sua dívida interna é muito alta e o país possue a segunda maior taxa de desemprego, dentro dos países da União Européia, atrás da Grécia.

Só para lembrar aos leitores do DricaRibas, que no sistema parlamentarista, vota-se em listas dos partidos e não em canditados, como no sistema presidencialista.