Skip to content

Eleições Municipais 2020: Cadê os moderados?

Last updated on 26 de novembro de 2020

Já faz uns dias que se comemora uma frente de esquerda, seja para a eleição de segundo turno para a cidade de São Paulo, como para Porto Alegre.

Vamos falar da cidade de São Paulo. Para o segundo turno, a disputa é entre o atual Prefeito, Bruno Covas do PSDB e Guilherme Boulos do Psol. A frente de esquerda é contra o fascismo e a extrema-direita, em outras palavras, o governo federal. Bruno Covas não é nem um ou outro. Um político de centro, onde sua gestão deveria ser confrontada. A “frente de esquerda” poderia focar o debate no combate ao Coronavírus e trazer propostas para o pós-pandemia, especialmente para a capital que é o motor econômico do país.

Essa frente pode ser encarada, como um balão de ensaio para as eleições presidenciais de 2020, uma espécie de “troca” de líder entre Lula e Boulos. Uma espécie de termômetro que até o momento funciona, já que Boulos conseguiu chegar ao segundo turno.

Por outro lado, muitos nomes que fazem parte dessa “frente de esquerda” deveria repensar sua escolha. Gente interessante, inteligente embarcando num processo que no passado, culminou na eleição de Jair Bolsonaro.

Em 2018, a onda anti-PT elegeu o governo que temos hoje. Bolsonaro navegou nessa onda. Depois, acabou traindo os seus eleitores, ao acabar com a Lava-Jato para salvar a pele de seu filho, Flávio Bolsonaro. Os brasileiros já deram o seu recado nas urnas aí. O resultado das eleições municipais do primeiro turno, já deixaram claro, mais uma vez, que os brasileiros não querem “ismos”.

Todos os candidatos apoiados por Bolsonaro, não se elegeram. Ao acabar com a Lava-Jato, a maior operação contra a corrupção no país, Bolsonaro perdeu parte importante do eleitorado. Também sua atitude negacionista em relação à Covid19 gera revolta. Atitude semelhante custou a eleição de seu ídolo, nos Estados Unidos, Donald Trump.

Já faz tempo que o DricaRibas escreve: hora dos moderados sairem de suas tocas. Chega de “ismos”, hora de colocar um país para frente, encontrar as soluções na política, com respeito ao dinheiro público, por mais difícil e desafiante que seja. Hora dos eleitores darem mais uma vez, o seu recado nas urnas.

Obrigada por ler o Blog do DricaRibas.

%d blogueiros gostam disto: