Entrevista do Lula – Que Preguiça!

Confesso aos amigos leitores que a entrevista do Lula a Folha de São Paulo e ao El País, me deu uma perguiça enorme de ler. A razão é simples, a ladainha continua. O papel de vítima, o descaso com a justiça, etc, etc. Como um disco quebrado, que somente agrada aos militantes.

A princípio não escreveria nada a respeito, mas me chamou atenção a repercussão da entrevista. Mesmo que tímida, já que o PT já não possui a mesma força do passado, mas o suficiente para notar um movimento bem antigo na política brasileira: Lula representa a nossa elite política que quer tudo continue, como antes.

Ao falar, como uma espécie de pequeno ditador, aos dois jornalistas, Mônica Bergamo da Folha e Florestan Fernandes Jr do El País,  ele dá voz aos políticos “indignados” que não aceitam a demanda da sociedade brasileira, que o dinheiro pago em impostos sejam revertidos serviços públicos de qualidade.

A elite, a qual Lula reclamou, não tem muito que reclamar. Sem ela, o PT jamais teria acedido ao poder e nem mesmo ter faturado milhões como faturou.

Por fim, esse tipo de evento é uma banquete para o bolsonarismo. Aliás, diga-se de passagem, existiu melhor cabo eleitoral para Jair Bolsonaro que o Lula? Enquanto isso, os moderados só assistem ao espetáculo.

Liberdade de Expressão #danilolivre

Sempre que acordo pela manhã, sempre dou olhadinha no Twitter, para ver o que está acontecendo. Hoje, eu levei um susto ao ver a condenação de Danilo Gentili, referente ao caso envolvendo a Deputada Maria do Rosario.

Já não é de hoje que expressar as suas opiniões livremente no nosso país virou um insulto. Para que e quem serve a ditadura de idéias?

Em um país, onde não existe iniciativa privada e se vive, quase que exclusivamante de dinheiro público, essa é uma pergunta que por mais incômoda que seja, merece uma reflexão.

Minha total solidariedade ao Danilo Gentili. A liberdade de expressão é um bem fundamental para uma Democracia.

1964 – Análise DricaRibas

Em tempos onde os devaneos ideológicos tentam emplacar narrativas para fingir uma realidade que não existe, estar atentos aos fatos é o melhor remédio. Pode ser que os fatos não agradem. Mas, a importância de entendê-los é a melhor maneira para se encontrar soluções para o futuro.

Este texto foi divido em quatro partes. Vamos lá?

Ditadura sim senhor

Existem diferenças entre uma ditadura de esquerda ou de direita? A resposta é não. Quando se há a supressão das liberdades individuais, seja por qual seja a razão por parte de um governo, não pode ser aceito. No caso, do Brasil foi sim um golpe que os militares deram e ficaram por longos 21 anos.

Depois veio a Lei da Anistia e com ela a anistia ampla e irrestrita para todos. Mas, com a Comissão da Verdade perdeu-se a oportunidade de se passar a limpo os crimes cometidos pelos militares e guerrilha. Por mais dolorido que fosse, teria feito muito bem a nossa Democracia.

O Lulopetismo

Em 2002, Lula chegou à Presidência através do voto. Nesse momento havia aquela idéia romântica de que tudo ficaria bem, já que as esquerdas finalmente estavam no poder.

Com o passar do tempo os fatos foram mostrando que o PT tinha um projeto de poder, de transformar um Brasil em uma espécie de república comunista. Apelou para a corrupção, que sempre foi infelizmente, moeda de se fazer política no nosso país. Basta ver os casos investigados pela Operação Lava Jato. O DricaRibas até se atreve a escrever que sem a Operação Lava Jato, o PT estaria no poder.

Outro fato que não podemos deixar de mencionar é a “Ditadura de Idéias” que o PT implantou, seja na cultura, como no jornalismo. Caso você não seguisse a tal receitinha de bolo, você era carta fora do baralho. DricaRibas passou belas saias justas com os petistas. Por que impedir a liberdade de se expressar?

Eleições 2018 – O Plebiscito

Vamos ser sinceros, as eleições do ano passado foram um plebiscito. Todas as tentativas de manobras políticas, assim como as tentativas de emplacar narrativas. Houve uma pressão enorme e se não fosse a população brasileira, seja nas ruas e nas redes sociais, provavelmente teríamos Lula de volta.

Foi uma eleição muito violenta, que incluiu um atentado contra um canditado, a facada contra Jair Bolsonaro, agora Presidente, Aliás, até agora o caso ainda não elucidado totalmente.

Bolsonarismo substituindo o Lulopetismo?

Estamos a pouco mais de três meses de Governo Bolsonaro e já tivemos uma série de crises, todas elas geradas pelo próprio governo. Sejam nas redes sociais, com o famoso caso do “Golden Shower” ou até mesmo, a falta de motivação de aprovar reformas estruturais urgentes, mesmo impopulares, como a Reforma da Previdência

Vale lembrar que não foram os bolsonaristas que elegeram Jair Bolsonaro. Boa parte são daqueles que não queriam o PT e almejam que o país funcione e principalmente que o dinheiro pago em impostos seja revertido, em serviços públicos para todos.

Mesmo que tenha tido uma renovação no Congresso, esse último round entre o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o Presidente Jair Bolsonaro mostrou que o Congresso não está disposto a mudar seus hábitos de “toma lá da cá” de cargos.

Por outro lado, o governo não deve embarcar unicamente em ideologias e acreditar que somente isso resolverá os nosso problemas. Um exemplo? Toda a brigalhada envolvendo o Ministério da Educação. Os estudantes devem aprender ler e escrever em português. Para quê ideologizar? Todos têm o direito, na vida adulta de escolher a ideologia que queira, o certo que todos os pagadores de impostos merecem serviços públicos e ponto. O respeito deve ser a base para tudo.

Por fim, estamos em 2019. Não há motivos para festejar um golpe ou uma revolução de 64. O país se encontra em uma situação lastimável e a necessidade de colocá-lo nos trilhos é urgente. Caso contrário, estaremos condenados a sermos um país subdesenvolvido. Será que é isso que queremos?

Lei de Direitos Autorais + Artigo 13 aprovadas pelo Parlamento Europeu: Opinião DricaRibas

Ontem, o Parlamento Europeu, em Estrasburgo aprovou a lei de direitos autorais , incluindo o artigo 13, o famoso “upload filter”  por 348 votos contra 274 votos.

Mesmo com o placar favorável, as reações são adversas. A Comissão Européia comemorou a votação: um compromisso entre todos os atores envolvidos.

Os favoráveis a essa lei afirma que Europa deve estar de olho na concorrência entre gigantes da Internet. Por isso, a necessidade de igualdades de requisito.

Os contrário a lei dissem que ela fere a liberdade de opiniões na Internet e fala em censura, exatamente com o artigo 13 com a questão do filtro, na hora de se postar vídeos, como no caso do You Tube.

Na opinião do DricaRibas é importante que se tenha um reconhecimento do trabalho dos produtores dos conteúdos. Reconhecer que aquele contéudo tem dono e não permitir que ele seja copiado, sem o devido pagamento para o mesmo. Neste caso, eu concordo.

Já no caso específico do artigo 13, o DricaRibas leu várias manifestações e concluiu que não é claro, como esse filtro funcionará. Se ele pode ser favorável ao proteger o direito dos autores ou se o mesmo pode também ser uma espécie de censura para evitar vídeos de críticas a políticos e governos.

No fim de semana houveram manifestações, em várias capitais européias. A preocupação sobre uma espécie de censura, em cima dos conteúdos é enorme e o DricaRibas também compartilha desse sentimento.

No dia 9 de abril, o Conselho da Europa poderá confirmar essa votação. A princípio essa lei deverá passar já que há um consenso entre os países membros.

Depois, haverá um espaço de dois anos para essa lei entre em rigor. Ela pode ser adaptada dentro das leis de direitos autorais, de cada país membro da União Européia.

Enquanto isso, os contra o artigo 13 já convocaram protestos. E vamos ver, quais serão as consequências dessa lei. Vale lembrar, que as Eleições do Parlamento Europeu estão marcadas para o dia 24 de maio.