DricaRibas de Molho

Queridos Leitores!

Como estão? Espero que todos muito bem! Esse semana estou fora do ar. Infelizmente, eu sofri um acidente no último fim de semana, machuquei o rosto e não deu para fazer muita coisa. Não foi nada grave, mas gravar vídeos, por exemplo, não dá.

Não deixem de me seguir nas redes sociais e a gente se vê breve!

Compras de Produtos de Influenciadoras Digitais

Você já comprou algum produto de alguma influenciadora digital? Pois é, até que tentei, mas não consegui. Eu vou contar as minhas três experiências. Não revelarei nomes ou produtos, por questões éticas.

História 1: Faz tempo, eu quis comprar um produto de uma influenciadora digital que seria lançado através de uma marca famosa de cosméticos. Achei interessante, até porque, o trabalho da moça é muito bom.

Entrei em contato com a moça e a primeira coisa que estranhei, é que ela nunca me respondeu. Queria saber se o tal produto seria vendido na Europa. Moro faz vinte anos aqui e não responder emails ou mensagens não é exatamente bem visto.

Depois que o produto foi lançado, aí veio a grande surpresa. A quantidade era pequena e aquelas que queriam comprar o dito produto, teria que fazer fila em loja, tentar comprar de madrugada através de um site. Claro que não fiz. Se você se propõe a lançar um produtos, que tal cuidar de todo processo? Isso significa, não somente fazer bonito nas redes sociais.

História 2: Aí, eu me interessei por um produto de um outra influenciadora digital. Essa também tem um trabalho bem legal. Mas, aí, eu resolvi dar uma olhada na página do reclamaaqui.com. Esse é um procedimento que adoto sempre, desde que eu tive um problema com a TAM, agora LATAM, na hora de comprar passagens.

Para a minha surpresa, a marca da influenciadora estava mal avaliada. Tanto no produto, como na entrega. Desisti. Que tal gravar menos stories e se preocupar com a logística da marca?

História 3: Finalmente, eu me decidi comprar um produto de uma influenciadora gringa. O produto é um babado, na linguagem das blogueiras. Fui no tal site e na hora de pagar, o site ficava rodando, rodando. Como eu não senti segurança para inserir o número do meu cartão de crédito, eu desisti da compra babadera.

A minha conclusão é simples: precisam melhorar a forma de distribuição e entrega de produtos. Não adiantam mostrar a “perfeição” de seus produtos, se não há como comprá-los. É uma estratégia? Pode até ser, mas em um mercado tão efêmero, só sobrevive, aqueles que tiverem a melhor estratégia de marketing.

O Outuno de Ouro

Faz tempo que não comento com vocês, nada cotidiano.

O tempo aqui anda tempo. Precisa-se de um casaquinho, mas nada do frio. Muito contrário, ainda há muito sol.

Curtimos porque sabemos, mesmo que um pouco tarde, o frio virá.

O Olá do sumiço!

Faz tempo, que eu não publico nada, por aqui. Passei por uma cirurgia no mês de maio e fiquei de baixa. Recebi visitas do Brasil, fui para Brasília, filha de férias. Aqui, no continente europeu são as férias de verão.

Agora, vamos retornar com os conteúdos. Afinal de contas, há sempres histórias cotidianas para contar. Vida que segue!