Alemanha: nova regras para conter o vírus #allesmachtdicht

Depois de muito debate, o governo alemão conseguiu aprovar na semana passada, uma lei que prevê, que se a taxa de incidência de infecções de Covid19 passar de cem para cada cem mil habitantes, os estados alemães deverão tomar medidas de contenção, como o lockdown, por exemplo.

Ao contrário da Áustria, na Alemanha os estados são mais autônomos. Isso significa que Berlin têm menos influência nas decisões estaduais que Viena. Em tempos normais, isso não é um grande problema.

Mas, em tempos de Covid19, mostrou-se fundamental a necessidade de se tomar medidas rápidas devido à infecciosidade do vírus, especialmente com as mutações. O que se chamou na Alemanha de “Notbremse” – freada de emergência .

De acordo com o Robert Koch Institut, a taxa de incidência aumentou para 169,3 e mais 11.907 casos de Covid19 foram registrados, nas últimas 24 horas. Mesmo que no fim de semana, teste-se menos. Como acontece na Áustria, a situação das unidades de terapia intensiva nos hospitais é dramática, com pouca disponilidade de camas.

De acordo com o ARD, 4.099 camas de UTI estão livres. 2.869 no hospital com respiração mecânica e 2.184 sem. São poucas camas para outros problemas de saúde, como câncer, operações de urgência ou acidentes.

Iniciativa #allesmachtdicht

Na última quinta-feira, um grupo de 50 artistas alemães e austríacos lançaram a ação #allesmachdicht onde fazem videos irônicos e satírico contra a política de contenção da Covid19, na Alemanha.

A ação não foi bem vista por muitos, mesmo que a situação do pessoal da cultura seja muito ruim. Há um ano, não há vida cultural tanto na Áustria, como na Alemanha. Para muitos artistas, além da frustração de não estarem em cima do palco, existe o problema financeiro. Muitos vivem de entradas de espetáculos, que por conta da infeciosidade do vírus, especialmente das mutações, não podem acontecer.

Por contra, os professionais da saúde lançaram a ação #allemalneschichtmachen. Esses que estão na linha de frente do combate à Pandemia, estão esgotados fisicamente. Também acusam os artista de não terem compaixão com os mais de 80 mil mortos e familiares.

Opinião DricaRibas: O debate levantado pela ação #allesmachdicht dos artista alemães e austríacos é o retrato atual da situação da Europa Central, onde a frustração, perda de poder aquisitivo e a falta de perspectiva são a marca dos debates sobre a Covid19.