A novela de Novak Djokovic

Atualização: O governo australiano acabou de anular o visto do tenista Novak Djokovic. O motivo da anulação é relacionada com as regras de Covid19 do país. Djokovic não é vacinado para a Covid19. Leiam o resto do post para entender a novela.

Parece um novelão, no melhor estilo mexicano, com direito a revira voltas espetaculares, a ida do tenista sérvio, Novak Djokovic para Austrália. Djokovic é número 1 do mundo do tênis e com certeza a sua presença é fundamental no “Australian Open” que começa no dia 17 de janeiro.

Tudo normal se não fosse a questão da Pandemia, especialmente, com a variante Ômicron, muito mais infecciosa que a Delta e que obriga os países a tomarem medidas bem restritas. No caso da Áustralia, as regras são bem restritas. Há exigência da vacinação obrigatória contra a Covid19 para os viajantes, além de um teste PCR de máximo três dias.

Mesmo assim, o tenista conseguiu uma autorização especial da Associação Australiana de Tênis para participar no “Australian Open” que ocorrerá entre o 17 até o 30 de janeiro. Djokovic também ganhou na justiça o direito de estar na Áustrália, mesmo sem ser vacinado. Mas, ainda não é decisão definitiva.

O Ministro da Imigração, Alex Hawke ainda avalia a decisão do tribunal australiano e pode revogar o visto do tenista sérvio.

Versão Podcast

Falso certificado de Covid19?

No 16 de dezembro, Djokovic recebeu o resultado positivo do 2º exame de Covid19. De acordo com as regras na Sérvia, a quarentena é de 14 dias. Mesmo assim, no 17 de dezembro, ele participou de uma premiação, em Belgrad e no dia seguinte deu uma entrevista para o jornal francês “L’Équipe”.

No 30 de dezembro, Djokovic recebe uma autorização para participar do “Australian Open” da Associação de Tênis australiana. No 5 de dezembro, ele parte para Marbella, na Espanha para treinos.

Na imprensa européia surgiu a suspeita de que o teste de Covid19 de Djokovic apresentado para as autoridades australianas poderia ter sido manipulado. A princípio, seu teste positivo seria do dia 16 de dezembro. Depois há um outro, datado de 22 de dezembro. De acordo com a revista alemã “Spiegel”, o número do código pode ter sido adulterado.

Resistência européia contra a vacina

O caso do tenista sérvio Djokovic é um bom exemplo de resistência européia para a vacina contra a Covid19. Aliás, por conta da baixa taxa de vacinação, países têm enfrentado um aumento muito importante do número de casos. A Sérvia possui uma taxa de vacinação de 59,7%, também baixa para a Europa.

Claro que as medidas de contenção do vírus trazem um impacto econômico muito grande para todos. As atividades esportivas, junto com as atividades culturais foram as mais atingidas pela Pandemia. Aliás, tudo que envolva aglomeração de pessoas é o cenário perfeito para propagação do vírus da Covid19 e especialmente da Ômicron.

Caso o Ministro da Emigração australiano decida revogar o seu visto, Djokovic não poderá mais viajar para a Austrália por três anos. No seu próprio país, Sérvia, ele também pode sofrer multas e penalidades, por ter furado a quarentena.

Com certeza para o Djokovic, não participar no “Australian Open” é um prejuízo financeiro muito grande, por conta dos patrocinadores e prêmios. Então, aí fica a pergunta: Por que não simplesmente se vacinar?

Ponto importante: Novak Djokovic admitiu erros nos formulários de imigração para a Austrália. Caso Djokovic participe e ganhe o “Australian Open” será o seu vigésimo primeiro torneio “Grand Slam”. Assim, ele se tornará o maior jogador de tênis da história. Pergunta: Será que Djokovic participará do torneio?