A incerteza da Ômicron na Europa

A Europa se encontra na quinta onda de infecções da Covid19 por conta da Ômicron. Os números são assustadores. Nas últimas 24 horas, aqui na Áustria foram registrados 17 mil casos. Nunca houveram tantos casos de Covid19, aqui na Áustria, desde do começo da Pandemia.

Mesmo com um número tão elevado de casos, há boas notícias da Grã-Bretanha, onde o surto de Ômicron já está a pelo menos, duas semanas adiantado, comparando com o continente. O número de casos de Ômicron começa a diminuir. Atingiu ao patamar de 200 mil casos por dia e agora baixa para 150 mil.

Também há boas notícias dos hospitais britânicos. O número de casos é menor em comparação com o inverno do ano passado. Mesmo assim, os especialistas estão bastante cautelosos. Mesmo que a Ômicron mostre-se menos agressiva que a Delta, há o risco de novas variantes. Por isso a necessidade de uma vacinação geral contra a Covid19.

Próximas medidas de contenção da Ômicron

Com um aumento expressivo do número de casos de Ômicron, a grande pergunta que fica é se é necessário um lockdown – confinamento. Isso depende de como os hospitais aguentarão essa nova onda de pacientes. O que até o momento se apresenta, são pacientes que não necessitam de UTI.

Outro ponto é observar, o tanto que a vacinação é verdadeiramente efetiva, especialmente em países, como a Áustria, por exemplo, que ainda possue 30% da população sem vacina.

A questão dos testes para a Covid19 também serão colocados a prova, para os próximos dias. Em Viena, por exemplo, com o começo das aulas, houve uma pane geral com os testes de PCR, pela quantidade de testes realizados. Além das escolas, que exigem que as crianças sejam testadas três vezes por semana, há necessidade de sequencimento para identificar a sepa do vírus da Covid19.

Na Alemanha, por exemplo, já se fala de poucos testes de Covid19, pré-requisito para as escolas, trabalho ou atividades como compras no Shopping.

De todas as formas, ainda estamos no começo da quinta onda de infecções da ômicron, até porque, aqui na Europa é o começo de um longo e difícil inverno.