Entre conversas vazadas, polarização e outras coisinhas mais

Publicado por

O DricaRibas andou um tempo fora do ar. Tive que passar por uma cirurgia para resolver um problema recorrente de saúde, em vias de se resolver. Mas, com certeza, não deixei de acompanhar os últimos acontecimentos da política brasileira.

Já não é de hoje, que a imprensa brasileira fala de vazamentos seletivos e assassinatos de reputação. Nenhum milagre, em um país onde se vive exclusivamente dinheiro público e precisa-se da chancela de políticos.

Faz cinco anos que a Operação Lava Jato começou. A primeira operação bem sucedida contra a corrupção e a mais atacada. É também a razão, pela qual ganhou o apoio popular. A Operação Lava Jato devolveu aos brasileiros, o questionamento quanto ao uso do dinheiro público. Vale lembrar, que no nosso país, os serviços públicos são quase inexistentes. Isso gerou um descontentamento popular, em relação aos políticos.

Mais ainda, depois de quatorze anos de Lulopetismo, que inclui os governos do ex-Presidente Lula e Dilma Roussef. Nesse período, a corrupção passou de uma forma de se fazer política, para se transformar em uma política de Estado. Qualquer um que questionasse o sistema, deveria ter sua reputação assassinada .

O principal problema do PT sempre foi o seu viés ideológico cubano, com o objetivo de implantar no país uma espécie de república comunista. Prova disso é o discurso “Lula Livre”, esmigalhando a oposição e arrastando a esquerda para o abismo.

O descontentamento em relação ao PT e sua política autoritária gerou uma reação de repulsa na população e resultou na eleição do agora Presidente Jair Bolsonaro, no pleito do ano passado.

Para aqueles que achavam que essa eleição acalmaria o país, esses se enganaram. Desde de então, parte da imprensa brasileira segue com sua militância política e agora ganhou um reforço, com os vazamentos do site The Intercept.

Na leitura DriRibas, os diálogos revelados não podem ser levados a sério, já que são somente trechos. No fim de semana, por exemplo, quando o The Intercept vazou outros trechos, teve que republicar, já que continham informações incorretas. Aliás, essas conversas deveriam ser publicadas na integra e não em pedacinhos. Isso mostra a militância política do site e não tem nada a ver, com o trabalho jornalístico.

Poderia-se questionar, quem sabe, se houve alguma parcialidade do então Juiz Sérgio Moro. Em outro contexto político, isso seria um questionamento válido. Mas, aí, vem a pergunta: Como questionar a parcilidade dele, se o PT e aliados aparelharam o estado brasileiro?

Por outro lado, não podemos deixa de mencionar, o acirramento dos embates ideológicos entre lulistas e bolsonaristas, especialmente depois da divulgação desses vazamentos. Nota-se, na últimas semanas, um endurecimento dos discurso ideológico do governo.

Vale lembrar, que o bolsonarismo é fruto do lulopetismo e que um não existe, sem o outro. Para ambos, a polarização é fundamental para sua existência política.

Do ponto de vista político, isso é muito ruim. Tapetão ou violência não resolverão os graves problemas políticos e sociais, que o Brasil enfrenta. É na política que devemos encontrar as soluções, por mais difíceis que sejam.

Quem sabe, seja a hora dos moderados finalmente tomarem conta do debate público.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.