O Desfile das Campeãs do Carnaval Carioca

Publicado por
euebaiana
Eu e essa belíssima baiana da Império Serrano. Carnaval de 2008.

O desfiles das campeãs fecha o ciclo de ritual das escolas de samba. O ciclo começa com a escolha do enredo, a escolha do samba-enredo, o processo de preparação das fantasias, alegorias, passando pelos ensaios na quadras das escolas e no Sambódromo até o desfile. Esse processo dura um ano e para o carnaval 2020, esse processo já começou.

O desfile das campeãs é um momento mais relaxado. Podemos até considerá-lo mais performático. Os membros das escolas de samba, mais relaxados, dançarão com mais vontade.

Do ponto de vista do resultado, na leitura DricaRibas, a vitória da Mangueira é a vitória do politicamente correto. Houveram desfiles melhores, mais tecnicamente perfeitos, mas a necessidade de lacrar gritou mais alto. Além de agradar um setor da esquerda lacrador, também é uma desculpa pela Liesa – A Liga Independente das Escolas de Samba, a que organiza o campeonato para a escolha da melhor escola de samba do carnaval.

O financiamento das escolas de samba sempre foi um ponto obscuro. Quem é do Rio, sabe que as escolas de samba são financiadas pelo jogo do bicho. Presidentes ou patronos sempre foram o chefe da banca de bicho do bairro. Inclusive há sambas-enredos que relatam essa relação. O famoso samba-enrendo “Contos de Areia” da Portela para o carnaval de 1989. Inclusive, sempre foi um diferencial, com a Império Serrano, a vizinha pobre de Madureira. Tanto é assim que a Império Serrano se transformou em escola pingue-pongue. Fica um tempo no grupo especial e depois desce, fica um tempo e aí vai. A escolha do samba-enredo em cima da música do Gonzaquinha mostrou esse problema. A música do Gonzaquinha é linda, mas o Império deixou de lado a sua tradição no carnaval carioca. Que tristeza!

A Liesa é composta por bicheiros. Os mesmos possuem o seu braço armado que é composto pelas mílicias. Foram as milícias, de acordo com as investigações da polícia que mataram Marielle Franco. Ela que foi tema do enredo da Mangueira, a escola de samba vencedora do carnaval de 2019.

Tenho um imenso respeito pela Mangueira e por sua história. Cartola, um dos seus fundadores escreveu um dos sambas mais lindos, da nossa história da música “As Rosas não falam”.

Enquanto não for resolvido a questão do financiamento das escolas de samba estaremos nesse dilema. Na leitura DricaRibas, o financiamento deve ser transparente e que todas as escolas tenham o mesmo orçamento para se avaliar a capacidade artística de cada uma.

E para concluir: o assassinato de Marielle Franco e de seu motorista Anderson devem ser esclarecidos e os culpados punidos. Doa a quem doer.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.