A Confusão Eleitoral na Itália e o imbroglio com a União Européia

O resultado das eleições na Itália trará muitos problemas para se formar um novo governo. O movimento Aliança de centro-direita de Sílvio Berlusconi saiu como vencedor, com 36% dos votos, mas não o suficiente para formar governo. Seriam necessários 40% dos votos, de acordo com a nova regra eleitoral. Já o movimento 5 estrelas, euro-cético, como partido único obteve mais votos.

A economia da Itália anda mal das pernas. O país possue uma dívida de 2250 bilhões de euro, o que significa 132% do PIB – Produto Interno Bruto. Nesse quesito, sua situação quase se iguala a da Grécia.

Essa situação mostra a diferença de mentalidade política e fiscal entre o sul e norte da Europa. Ter uma moeda comum e não poder desvalorizar quando “necessário” e respeitar as metas fiscais da União Européia. Isso não se encaixa com a mentalidade política dos países do sul da Europa, que gostam de colocar tudo na “conta do Estado”. Aliás, diga-se de passagem, algo não muito diferente na política brasileira e suas metas fiscais.

Vamos ver, como os italianos sairão desse imbroglio, já que soluções “mágicas” populistas, estilo Brexit, poderão trazer mais dor de cabeça ainda para o país.